Domingo, 29 de Abril de 2007

Um verdadeiro derby

Esqueçam tudo o que pensam que sabem sobre as novelas da vida real. Esqueçam o que pensam que sabem sobre as novelas da ficção. Esqueçam o Boavista-Porto ou o Benfica-Sporting. Um derby verdadeiramente emocionante é transmitido na SIC, aos Sábados das 12 às 13 horas, e chama-se Big Cat Diaries.

É um programa sobre grandes felinos (ou gatinhos grandes como eu prefiro chamar) em que o Jonathan, a Seba e o Simon acompanham as vidas de chitas, leopardos e leões. O episódio de ontem foi particularmente interessante porque dois babuínos dos infernos estavam a tentar apanhar uma chita bebé, enquanto a mãe dela a tentava proteger.

Para terem uma ideia melhor daquilo que estou a falar, eu explico. Isto são chitas bebés:

  

Como vêem são amorosas, têm olhinhos meigos, pelinho fofo e dá vontade de as agarrar e enchê-las de mimos. Em compensação, isto é um babuíno do demónio:

  

Não é particularmente simpático e, apesar de eu achar que devemos proteger os animais de uma maneira geral e, em particular, os que estão em vias de extinção, se eu visse isto a atacar uma chita e tivesse uma pedra, arma de dardos tranquilizantes ou, à falta de melhor, uma espingarda, não pensava duas vezes.

O que torna o documentário tão interessante, para além das imagens, é o envolvimento dos narradores. Neste caso, o Jonathan estava nitidamente em sofrimento e penso que ele só não fez aquilo que eu faria porque estava a ser filmado.

De qualquer modo, ainda não sei se a chita bebé consegue escapar ou não, mas irei ficar esclarecida no próximo episódio. Isto sim, é emoção pura!

tags: ,
publicado por bonecatenebrosa às 13:39
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 27 de Abril de 2007

Envie CV

Hoje o Diário de Notícias informa que a "Câmara de Mesão Frio emprega mulher e filha do presidente". Para verem que não estou a mentir, aqui têm a notícia e, caso não consigam ver bem, ela deve estar no DN online:

 

 

Devo dizer que nada disto me espanta. Eu própria já me candidatei a muitos empregos e eram comuns as vezes em que, nas entrevistas, candidatos incompetentes noutras áreas da avaliação, acabavam por conseguir brilhar devido a laços de parentesco ou amizade. Aliás, a propósito da avaliação da motivação, devo dizer que cheguei a ir ao Açores para uma entrevista e, numa escala de 0 a 5, deram-me um 3 na motivação. Ora, se eu vou do Continente aos Açores e não estou suficientemente motivada, não sei quem esteja. Tudo bem que eu gosto de vaquinhas malhadas, mas não fazia a despesa da viagem só para as ver pastar...

Desde essa altura que já não sou ingénua ao ponto de ter esperança quando vou a uma entrevista de emprego. Agora, limito-me a desejar fortemente que o candidato com a cunha morra ou sofra um acidente grave. Mas aí, o mais provável, era anularem o concurso...

No meio disto tudo, não critico a Patrícia ou a Florbela Silva. Elas só estão a fazer pela vida! Agora, o filho da mãe do Marco Teixeira da Silva é que devia ter vergonha na cara... Mas de facto, por que havia ele de ser diferente dos outros? Isto também é corrupção e o que não falta por aí são autarcas corruptos. Sugiro é que comece a aquecer o motor da trituradora de papel porque quem é corrupto para umas coisas também é para outras e se calha este senhor cair em desgraça, aí não há quem lhe valha, nem à mulher, nem à filha. Pelo menos é nisto que eu gostaria de acreditar.

Quanto à filha Patrícia, e visto que o estágio dela também foi feito na Câmara Municipal onde o pai é presidente, acho que talvez fosse de questionar a nota obtida. E aqui fica um conselho: Miúda, larga a barra das calças do papá e junta-te a nós no maravilhoso mundo do trabalho precário e das viagens ao Centro de Emprego! Quanto à esposa, fique descansada: ao menos nunca se vai preocupar se vier a saber que o marido anda a dormir com a secretária porque, no fim de contas, as duas são a mesma pessoa.

Voltando à questão das entrevistas de emprego, todos nós sabemos que estas servem apenas para introduzir uma forma de avaliação que prima pela ausência de objectividade e onde, perante críticas, o júri afirma-se soberano. Cheguei a pensar numa alternativa que era tornar obrigatória a gravação áudio das entrevistas para que, perante reclamações, as cassetes pudessem ser enviadas a avaliadores independentes. Contudo, embora isto dificulte a cunha, não a torna impossível, mas ao menos torna-a competitiva. Imaginem duas cunhas, a do autarca e a do avaliador independente, a concorrerem uma contra a outra. Até se podia fazer apostas a dinheiro!

Aos aspirantes a integrarem o mercado de trabalho, fica aqui uma sugestão de que se devem lembrar sempre: quando vos pedirem para enviar CV, não é o Curriculum Vitae que vos estão a pedir. O que querem é saber qual é a vossa Cunha Valente!

Quanto aos autarcas, sugiro que não atribuam cargos a familiares porque os divórcios acontecem, as atribuições de poder paternal também, os filhos são rebeldes e não é boa ideia ter contra vós alguém que sabe os vossos podres pessoais e profissionais. E já agora, não vendam cargos por menos de 50000 euros. É que a incompetência dos funcionários que entram com cunhas também se pode pagar cara.

Quanto a ti, Diana Brandão, estou contigo. Parte-os todos!

publicado por bonecatenebrosa às 12:27
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 26 de Abril de 2007

Já podemos respirar de alívio

Pois é, o Eusébio está livre de perigo!

Continuamos a ter, a nível europeu, índices de analfabetismo, desemprego, mortes na estrada, contaminação por HIV, maus-tratos conjugais e infantis que assustam qualquer pessoa normal. Abençoados sejamos por não sermos normais!

É que estas miudezas já não nos assustam, habituamo-nos a elas e, quando passa um dia sem que haja uma pequena tragédia pessoal ou colectiva damos por nós a pensar "Parece que há qualquer coisa que está a faltar e não sei bem o que é...".

Desde que Portugal existe que aprendemos a ser um povo triste e saudosista para quem "antigamente é que era bom", contente com as suas misérias, que exibe no café, nos transportes e no centro de saúde como se fossem medalhas ou feridas de guerra. Protestamos por ninharias mas calamo-nos quando os assuntos são sérios, queixamo-nos de que a nossa voz não se faz ouvir, mas nos dias de eleições vamos à praia.

E assim sendo, tudo vai bem: o túnel do Marquês abriu, o Benfica e o Sporting jogam no próximo fim-de-semana e o Eusébio vai ter alta. Estamos felizes!

publicado por bonecatenebrosa às 13:49
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 25 de Abril de 2007

25 de Abril sempre!

Bem, voltei agorinha mesmo da manifestação e devo dizer que foi porreiro, aliás como nos anos anteriores.

Pensei que desta vez alguma coisa iria correr mal porque não consegui arranjar cravos vermelhos e isso era mau presságio (sem contar com a vitória do Salazar nos Grandes Portugueses), mas a única coisa mais chata foram mesmo os pólenes das árvores da Av. da Liberdade a entrarem pelos olhos e nariz adentro.

Os meus agradecimentos a todos os que tornaram o 25 de Abril de 1974 possível porque, se não fosse por eles, este blog e outras coisas bem mais importantes não existiriam.

Um bem haja a todos os camaradas e para o ano há mais!

publicado por bonecatenebrosa às 18:49
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 24 de Abril de 2007

Meu herói

Hoje apetece-me homenagear alguém! Tirei à sorte entre o José Cid e o Eládio Clímaco e, adivinhem só, ganhou o Eládio. Grande Eládio! Sempre me apeteceu dizer-lhe umas verdades e esta vai ser a minha oportunidade. Mas prometo ser cuidadosa, que o senhor já tem alguma idade e só está habituado a ouvir bimbos cantarem sobre o amor e a paz no mundo...

Custa-me admitir, mas gosto de ver o festival da Eurovisão. Acho piada e embora abomine algumas músicas que lá aparecem, devo dizer que há outras com uma qualidade bastante aceitável. Uma dessas músicas é precisamente a vencedora do ano passado, Hard Rock Hallelujah, cantada pelos finlandeses Lordi. Para quem não viu, desenganem-se: apesar de Lordi parecer nome de hamster, a imagem dos sujeitos é tudo menos amistosa.

Vai daí, o senhor Eládio, em vez de manter uma postura idónea, começa a desancar na banda porque "preferem o espectáculo visual" e porque não seguem a tradição das "baladas bem conseguidas". Basicamente, só faltava dizer que eram uns incompetentes que não entendiam nada de música (curso tirado na Independente, quem sabe...).

O senhor Eládio é uma pessoa livre, como todos os cidadãos portugueses depois do 25 de Abril, e pode pensar o que quiser. Mas enquanto representante do canal televisivo público, num espectáculo onde o vencedor supostamente foi eleito democraticamente, devia ter comido e calado, o que não fez!

Espero que tenha ficado feliz com a "balada bem conseguida" que Portugal vai mandar à Eurovisão no próximo festival e que, muito provavelmente, à semelhança das suas antecessoras (principalmente das recentes), nem sequer vai passar a primeira eliminatória. Mas haja esperança! Se toda a gente que vai aos espectáculos do Tony Carreira gritar "Tony, quero um filho teu!" votar em massa nesse dia, ainda pode ser que sejamos vencedores.

Em jeito de homenagem, e para terminar, aqui fica o link para o videoclip de Hard Rock Hallelujah, para que o nosso querido Eládio possa matar saudades:

http://www.youtube.com/watch?v=TdItwaLrv1U

publicado por bonecatenebrosa às 18:41
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Domingo, 22 de Abril de 2007

Coelhinhos

Aqui está um link de interesse:

http://www.angryalien.com/

Preparem-se para ver coelhinhos não muito fofinhos a representarem filmes que conhecemos, mas apenas em 30 segundos.

Recomendo que vejam as versões do Scream, The Exorcist, Fight Club, The Ring e, principalmente, do Brokeback Mountain. Alguns diálogos vão ficar para sempre gravados na minha memória. Por exemplo, "I'm not a queer", "Neither am I"...

E a propósito de coelhinhos, também sugiro o link http://alisher.city.tomsk.net/shared/bunnies/

Aqui encontram-se excertos de dois livros de Andy Riley, onde vários coelhos fartos da vida decidem suicidar-se com originalidade. Tenham atenção aos pormenores e ao facto de algumas histórias terem continuação.

Mais, reparem como eles são engenhosos e motivados. Vê-se que concluíram os seus estudos! Não precisaram das "Novas Oportunidades". Deviam era estar a precisar de emprego e, como não arranjaram, entraram em desespero... Aqueles de vós que também estão desempregados, não tentem imitar os coelhinhos em casa, nem na rua, nem noutro sítio qualquer. Aqueles que estão empregados, também não. Depois não digam que eu não avisei...

tags:
publicado por bonecatenebrosa às 18:50
link do post | comentar | favorito
Sábado, 21 de Abril de 2007

Ainda não foi desta

Não, não me saiu o euromilhões.

É melhor também não contar com os suecos...

publicado por bonecatenebrosa às 16:30
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
Sexta-feira, 20 de Abril de 2007

Imigração II - Extrema-Direita Vs Suecos

Aproveitando o tema da imigração, vou partilhar convosco um fantasia que tive, quando ouvi que o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras foi inspeccionar as obras do IKEA de Matosinhos.

Não pude evitar, foi mais forte que eu: a determinado momento dei por mim a imaginar como seria se tivessem sido encontrados suecos altos, loiros, de olhos azuis, fortes e espadaúdos, suados e em tronco nu, a carregarem vigas e sacos de cimento nas obras... Foi uma visão do paraíso!

A Suécia, com muita pena minha, é um dos países com um dos índices de suicídio mais elevados. Aparentemente, a vida lá é tão boa que a população deixa de ter objectivos e, concluindo que a vida não tem sentido, os suecos suicidam-se.

A minha sugestão é que as agências de viagens comecem a organizar o pacote turístico "Dê um significado à sua existência e faça uma portuguesa feliz", a ser comercializado na Suécia. A ideia é importar suecos para Portugal como imigrantes ilegais. Obrigá-los a trabalhar nas obras ou explorá-los sexualmente em bares de alterne frequentados por portuguesas. E, como bónus, a extrema-direita iria chatear-se com eles por serem imigrantes ilegais (apesar de serem branquinhos, loirinhos e com olhinhos azuis) e passava a persegui-los com bastões e a fazer-lhes a vida negra de um modo geral.

Depois de tudo isto, eram apanhados pelo SEF e recambiados para a Suécia, onde passariam a ser capazes de apreciar devidamente a sorte que têm. Com jeitinho, até podia ser que fizessem amigas em Portugal e se disponibilizassem a levá-las para a Suécia. E já que estou a sonhar, também quero que me saia hoje o euromilhões...

publicado por bonecatenebrosa às 15:15
link do post | comentar | favorito

Imigração I - Extrema-Direita Vs Pretos

O Programa da Maria que passou na SIC e que, injustamente, foi relegado para as madrugadas, teve vários momentos de brilhantismo. Num deles, um branco e um preto estão nas obras e o branco manda o preto ir para a sua terra, ao que este responde "Moscavide a esta hora não dá jeito nenhum". A conversa continua e acabamos por perceber que, enquanto o preto tinha nascido em Portugal, o branco era natural de Moçambique.

Este tema vem a propósito das recentes detenções de elementos de extrema-direita e apreensões de armas ilegais que tinham em sua posse. Ora, um dos argumentos que estes senhores apresentam contra a imigração, e os pretos de maneira geral, é o elevado índice de criminalidade que a eles surge associado. Acontece que estes senhores tinham armas ilegais. O que é crime! E há pouco tempo fizeram ameaças aos Gatos Fedorentos na sequência do cartaz do Marquês. Caso não saibam, aproveito para informar que ameaçar alguém também é crime!

Já agora seria de questionar de que cor era o traficante a quem compraram as armas. É que, se era branco, era mais um branco criminoso a lixar as estatísticas. Se era um preto, torna-se incoerente andarem a negociar com pretos ao mesmo tempo que os mandam para a terra deles.

De qualquer modo, devo dizer que nunca tive grandes expectativas quanto à inteligência e capacidade de raciocínio destes senhores...

Agora, também não me vou pôr para aqui com conversas da tanga do tipo "todos diferentes, todos iguais" e "temos de ser mais tolerantes".

Primeiro porque a tolerância tem-se para com algo que é entendido como inferior a nós. A ideia subjacente a estas campanhas é "Ah pois, são pretos, essa raça inferior, mas como eu até sou boa pessoa, vou tolerá-los, desde que não sejam meus vizinhos, nem colegas de trabalho e, muito menos, meus patrões".

Depois porque se os pretos não têm orgulho na raça deles, não são os brancos que vão ter. Digo isto porque, há bem pouco tempo, o Mantorras dizia que tinha sido insultado quando o chamaram de preto. Acontece que se o tivessem chamado de branco, azul ou rosa às pintinhas, aí sim, estariam a gozar com ele. Se os pretos tivessem orgulho na sua raça, não se sentiriam insultados quando alguém diz que são pretos!

Portanto, meus senhores, mentalizem-se de uma vez por todas: preto é preto, branco é branco, e criminoso é criminoso, independentemente da cor. E as coisas devem ser chamadas pelos nomes.

publicado por bonecatenebrosa às 15:00
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 19 de Abril de 2007

Rivaldo sai desse lago

Há pouco tempo encontrei esta preciosidade no youtube e recomendo vivamente que vejam.

http://www.youtube.com/watch?v=SxVCFGrNHWc

Enquanto vêem, procedam também a um momento de reflexão acerca do seguinte: O que é mais ridículo nesta dança de acasalamento?

tags:
publicado por bonecatenebrosa às 17:42
link do post | comentar | favorito

Feriados religiosos

Quem me conhece diz que não sou lá muito católica. Quem me conhece mesmo bem diz que não sou lá muito católica... nem muçulmana, judia, evangélica nem pertencente a nenhuma outra dessas supostas religiões que, a meu ver, não passam de seitas que foram alcançando alguma notoriedade.

No entanto, sou pela liberdade religiosa. Aliás sou por todas as liberdades, desde que não se intrometam na minha própria liberdade!

Mais uma vez, podia continuar com divagações sobre este tema. Mas a verdade é que se eu dissesse agora tudo o que penso, pouco teria para dizer noutras alturas. A sabedoria popular diz que no poupar é que está o ganho e, excepcionalmente desta vez, vou seguir-lhe os conselhos.

A proposta que venho trazer hoje é relativa aos feriados. A meu ver, os feriados religiosos não fazem sentido. No entanto, também não sou estúpida para dizer que deviam acabar porque aqueles dias espalhados pelo ano dão muito jeito, principalmente quando não calham em fins-de-semana.

O que me chateia é que todos cumprimos os feriados católicos mas os católicos não cumprem os feriados das outras religiões, o que é uma nítida injustiça! Então a minha sugestão é: escolhemos a religião que mais dias feriados tem ao longo do ano. Imagine-se que são 20 feriados. Posto isto, todas as pessoas teriam 20 feriados ao longo do ano para gozarem da maneira que melhor conviesse à sua religião. Quem é ateu, goza-os como quer, de preferência de forma pecaminosa.

Isto sim, seria um passo de gigante para alcançar a verdadeira liberdade e igualdade religiosas de que a nossa Constituição fala, mas que nem sempre se lembra de pôr em prática. A propósito, outro dia falarei de mais coisas que a Constituição devia pôr em prática mas que continuam a só existir em teoria.

publicado por bonecatenebrosa às 14:11
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 17 de Abril de 2007

Pirâmide de Necessidades

Maslow elaborou em tempos aquilo a que chamou "Pirâmide de Necessidades". Segundo a sua lógica, na base da pirâmide encontram-se as necessidades fisiológicas, como sejam a fome e a sede, havendo um aumento progressivo na complexidade das necessidades a satisfazer.

Assim, de seguida, estão as necessidades de segurança, as sociais, as de auto-estima e as de auto-realização. Obviamente, não obstante todo o respeito que o autor desta teoria merece, facilmente nos apercebemos de que ela tem falhas, sendo um exemplo flagrante o das pessoas que passam fome e suportam torturas em nome de princípios e ideais.

No entanto, na maior parte dos casos, a hierarquia definida tem a sua lógica: dificilmente nos poderemos sentir realizados se estivermos reféns na nossa própria casa, sem acesso a comida há 5 dias, sem qualquer tipo de contacto social para além daquele que temos com o sujeito que nos aponta uma arma e que nos insulta com todos os termos que aprendeu depois da leitura atenta de um dicionário de calão...

E serve esta reflexão para chegar ao que se passa praticamente desde que o mundo é mundo. A maior parte das pessoas, após ultrapassar as preocupações com a fome e a sede, ambiciona uma ocupação estável, de preferência bem remunerada, a fazer aquilo de que se gosta, uma família e amigos porreiros, um relacionamento com alguém especial, etc.

Contudo, não nos chega estarmos bem porque vai sempre haver alguém que estará melhor que nós. E, como tal, não basta suprirmos as nossas necessidades. Torna-se indispensável lixarmos os outros de modo a que eles também não estejam satisfeitos! Assim, ao menos, não nos sentimos sozinhos e isto satisfaz as nossas necessidades sociais, de auto-estima e de auto-realização.

Aliás, é fácil comprovar que em situações de convívio é sempre proveitoso começar a criticar alguém. É um assunto que nunca se esgota porque há sempre mais alguém para atingir e mais um comportamento para criticar. E atenção: não estou a falar da crítica construtiva, da sátira humorística e nem sequer da pura e simples coscuvilhice! Estou mesmo a pensar na crítica destrutiva e na difamação que frequentemente ficam impunes, independentemente das consequências e da sua gravidade. 

Deste modo, se és sacana, o teu comportamento está explicado e lamento por não seres tão original como isso. Na realidade, és só mais um sacana no meio de muitos.

Se és sacaneado, paciência! Tenta compreender o comportamento do sacana e ficar longe dele porque ele não vai mudar. Aliás, o melhor é isolares-te socialmente porque, para onde quer que vás, vais sempre encontrar um sacana.

E, por fim, no caso mais provável que é o de acumulares as duas funções, lamento informar que nunca vais satisfazer completamente a tua pirâmide de necessidades. Por muito que sacaneies os outros para te sentires melhor que eles, vai sempre haver um sacana melhor que tu para te sacanear também. C'est la vie...

publicado por bonecatenebrosa às 23:31
link do post | comentar | favorito

Reconhecer competências

Para quem ainda não ouviu o novo single do Pedro Abrunhosa, "Quem me leva os meus fantasmas", só posso dizer que recomendo vivamente. Aliás, sugiro que ouçam aqui mesmo no sapo, ao mesmo tempo que vêem o videoclip, já que este dá muito mais força à música e letra.

De facto, o Pedro Abrunhosa é um dos poucos indivíduos no nosso país que, reconhecendo as suas limitações, conseguiu fazer uma carreira de sucesso naquilo que sabe. Não sei se ele sabe cantar ou não, mas ao menos sabe compor e sabe declamar e é precisamente isso que ele faz, com música de fundo.

Não querendo reduzir a pó as aspirações de todos e de cada um, era bom que houvesse mais gente com a mesma noção e que, em vez de se meter em cowboyadas para as quais não tem competência, se limitasse a fazer o que sabe para evitar fazer asneiras.

Como se diz na RFM, vale a pena pensar nisto.

publicado por bonecatenebrosa às 11:51
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Segunda-feira, 16 de Abril de 2007

Terra de grandes portugueses

Os noticiários são, de facto, uma fonte de inspiração! E isto verifica-se principalmente quando mencionam notícias antigas, das quais já nem sequer nos lembrávamos.

Hoje, a RTP apresentou alguns dados do relatório da PJ quanto à criminalidade. Embora eu pudesse tecer aqui diversos comentários pertinentes (ou não) relativamente à segurança do país e à evolução criminal do delinquente nacional (ou internacional dirá o simpatizante do PNR), não é isso que pretendo fazer.

Quero apenas chamar a atenção para um sujeito que em muito contribuiu para o número elevado de homicídios perpetrados em Portugal no ano de 2006. Não recordo o nome da figura, mas trata-se do ex-elemento da GNR de Santa Comba Dão que durante aquele ano divertiu-se a matar raparigas da região, dando um passo de extrema relevância no sentido de Portugal atingir um nível de desenvolvimento cada vez mais semelhante ao dos Estados Unidos no que toca a serial killers.

Ora, acontece que Salazar também é de Santa Comba Dão. E embora nunca tenha sujado as mãos a matar pessoas foi, no mínimo, um assassino da liberdade que, recentemente, foi eleito o maior português de sempre (atenção: o maior, não o melhor).

Será que um dia veremos também o serial killer ser eleito grande português? Espero que não! Caso contrário, Santa Comba Dão entrará para a história como uma fábrica de grandes portugueses, que o são pelos piores motivos.

publicado por bonecatenebrosa às 14:03
link do post | comentar | favorito
Sábado, 14 de Abril de 2007

Hoje apetece-me mas não tenho tempo

Na última campanha de Natal da PT, o Ricardo Araújo Pereira, a determinado momento, dizia "Natal é quando um homem quiser e hoje não me apetece". Não tendo pretensões de alcançar o nível humorístico do Ricardo (nem de nenhum dos outros Gatos Fedorentos) porque é muito bonito uma pessoa saber o seu lugar, hoje não pude deixar de pensar nesta pérola da quadra natalícia.

E pergunta o cidadão comum "Não achas que vens um bocado tarde para falar do Natal?". Ao que eu respondo com 3 argumentos:

1.º - Se o Natal é quando um homem quiser, e assumindo a teoria da igualdade de direitos entre homens e mulheres, eu posso sempre dizer que me apetece que hoje seja Natal.

2.º - Pela mesma ordem de ideias, tanto se pode dizer que eu cheguei tarde para falar do Natal, como também se pode dizer que cheguei cedo. De facto, a seguir a um Natal vem sempre outro. E a propósito, isto faz-me lembrar o filme Gremlins em que não se podia alimentar os bichos depois da meia-noite. Oportunamente, alguém podia ter perguntado de que dia e em que fuso horário. Seria interessante (embora repetitivo) ver o herói sequestrado pelo Mogwai que o obrigava a viajar por diferentes fusos horários de modo a poder ficar num estado de permanente enfardanço sem que nunca fosse "depois da meia-noite".

3.º e mais importante - Eu não vou falar do Natal!

De facto apetecia-me hoje falar das condições de empregabilidade do nosso país que, aliás, deviam passar a chamar-se condições de desempregabilidade. No entanto, e como o título indica, apetece-me mas não tenho tempo. Portanto, ficará para outro dia.

publicado por bonecatenebrosa às 18:06
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 13 de Abril de 2007

Agradecimentos à Turma da Mónica

Não querendo tornar-me excessivamente saudosista, devo dizer que a Turma da Mónica acompanhou-me ao longo da minha infância, adolescência e sim, devo admiti-lo, também na idade adulta.

É às suas brilhantes historinhas que devo a ideia da bonecatenebrosa, bem como o desenho do canto superior esquerdo.

E para aqueles de vós que estejam a pensar "É preciso ser atrasado mental para continuar a ler essas histórias e, pior ainda, é preciso ser estúpido para admití-lo", eu respondo com um simples "Calem-se, não sabem o que dizem".

Estas histórias não estagnaram no tempo, continuaram a evoluir e, felizmente, os argumentistas tiveram o discernimento de perceber que se o público cresceu, as histórias deviam acompanhar esse crescimento. E foi assim que tive a oportunidade de ler histórias carregadas de ironia que, se hoje eu tivesse 10 anos, não iria entender.

Os meus mais sinceros agradecimentos.

publicado por bonecatenebrosa às 13:55
link do post | comentar | favorito

O impacto da ausência de dores de cabeça femininas na auto-estima masculina

Foi hoje ao pequeno almoço que vi a notícia de que iria começar a ser comercializado um medicamento que seria uma espécie de viagra feminino. Ora, isto para mim (e penso que para outras mulheres) é preocupante!

Dantes, para nos escaparmos aos avanços sexuais de trastes sem lhes ferir o ego, bastava dizermos que nos doía a cabeça. Veio então o ben-ur-on estragar este esquema tão bem desenvolvido desde tempos ancestrais.

Seguindo a teoria da selecção natural, as mulheres mais aptas logo arranjaram outro pretexto, simples mas relativamente eficaz. Entrou-se assim na era do "hoje não me apetece, fica para outro dia". Mais uma vez, esta técnica cumpria os objectivos e não feria a auto-estima do ex-futuro parceiro sexual.

Agora, com a criação de um medicamento que visa aumentar o apetite sexual feminino (que geralmente não é reduzido, mas sim mal correspondido), nem essa desculpa nos salva.

Para as mulheres isto não é de todo um problema. O problema são os homens que vão ficar frustrados quando, apesar de tudo, continuarem a levar com negas. E agora já nem se podem socorrer do célebre "Ah, não consegui nada com ela, deve ser frígida".

O mais provável é começarem a surgir indivíduos com fortes problemas de auto-estima quando tentarem levar uma mulher para a cama e ouvirem algo do género "Olha, não me dói a cabeça e, por acaso, até tenho apetite sexual mas sinceramente não me apetece desperdiçá-lo com um gajo como tu, acho que consigo arranjar melhor".

Assim sendo, resta-me concluir que a brilhante ideia do viagra feminino foi desenvolvida por uma empresa farmacêutica especializada em anti-depressivos: as mulheres com elevado apetite sexual vão ficar insatisfeitas nas suas relações e os homens vão ficar com sérios problemas de auto-estima. E assim dispara a venda de anti-depressivos!

É melhor os homens pensarem nisto antes de se armarem em espertos e começarem a pôr o medicamento à socapa na comida ou bebida das companheiras.

publicado por bonecatenebrosa às 13:29
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 12 de Abril de 2007

Já nasceu

Lembro-me quase como se fosse hoje: na minha infância havia um programa chamado Com Pés e Cabeça que, se não me engano, era apresentado pelo Sr. Fialho Gouveia e cuja mascote era um boneco amarelo com ar de tanso.

Embora isto não interesse grande coisa, a música do genérico começava com "já nasceu, é português, divertido e brincalhão" e, a determinado momento, dizia que o bicho era um grande sabichão e fazia tudo.

Não querendo entrar em grandes reflexões sobre aquilo que o boneco fazia, serve esta conversa para chegar ao seguinte: também o blog bonecatenebrosa acaba de nascer aliás, neste preciso momento, estou a cortar-lhe o cordão umbilical. Para o bem ou para o mal, também é português. Quanto a ser divertido e brincalhão, não me cabe a mim julgar.

Basicamente este blog vai servir para uns quantos desabafos, comentários e avacalhanços em geral. Espero que seja do agrado de todos mas, se não for, paciência. Também não se pode agradar a gregos e troianos...

publicado por bonecatenebrosa às 16:56
link do post | comentar | favorito

.Eu, eu e mais eu

.Perdidos e achados

 

.Novembro 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
16
20
22
25
26
29
30

.Posts saídos do forno

. 6.ª Sobrenatural - "O euc...

. O fundo pode descer um po...

. Acto de terrorismo

. Duas questões para reflec...

. 6.ª Sobrenatural - "Levit...

. A solução para os problem...

. Dá-me o computador!

. Olha a novidade...

. Já não me metia com eles ...

. 6.ª Sobrenatural - "Quand...

.Posts já maduros

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Abril 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

.tags

. todas as tags

.subscrever feeds

.Visitas

Counter
Free Counter

.Agora estão cá quantos?

online

.Eu vim de longe...

.Para onde vos mando